top of page

Tratar ou não tratar? O complexo caso de corrosão da tinta ferrogálica.

A conservação de documentos históricos e arquivos é de extrema importância para a preservação da história e cultura de uma sociedade. Infelizmente, a corrosão da tinta ferrogálica é um problema comum em documentos antigos e pode causar danos irreparáveis se não for tratada adequadamente.


A tinta ferrogálica é uma tinta que contém ferro em sua composição e é muito utilizada em documentos antigos, especialmente em livros, cartas e mapas produzidos entre o século XVIII e meados do século XX. Os principais elementos constitutivos da tinta são: água (H2O), vinho ou vinagre (aditivos), goma-arábica (ligante), noz de galha (nome científico) e sulfato de ferro (FeS 2+), sendo este último elemento o principal responsável pela degradação do papel (Gomes et al).




Infelizmente, essa tinta é suscetível à corrosão, que é causada pela oxidação do ferro presente na tinta. Quando isso acontece, a tinta começa a se deteriorar, criando manchas amareladas e buracos no papel.


Segundo Gomes et al, o processo de degradação pode ser identificado em 3 etapas:

1° Fase: Fluorescência

2° Fase: Descoloração acastanhada

3° Fase: Colapso do papel



Veronique et al. Room-Temperature Study of Iron Gall Ink Impregnated Paper Degradation under Various Oxygen and Humidity Conditions: Time-Dependent Monitoring by Viscosity and X-ray Absorption Near-Edge Spectrometry Measurements. March 2011Analytical Chemistry 83(7):2589-97.


Para conservar documentos degradados pela corrosão da tinta ferrogálica, é necessário tomar algumas medidas específicas. A primeira etapa é identificar o grau de deterioração do documento, para isso é importante contar com a ajuda de um profissional especializado em conservação e restauro de documentos. Com base nessa avaliação, é possível determinar a melhor abordagem para a conservação do documento.


Uma das técnicas mais comuns para a conservação de documentos degradados pela corrosão da tinta ferrogálica é o tratamento químico. Esse método envolve a aplicação de substâncias químicas que neutralizam os ácidos produzidos pela oxidação da tinta ferrogálica e ajudam a estabilizar a deterioração. Em 1995, o químico holandês Johann Neevel desenvolveu o tratamento em meio aquoso conhecido com Fitato de Cálcio que combate esses dois mecanismos de deterioração e tem uma ação efetiva na estabilização de manuscritos com tinta ferrogálica. Tratamentos à base de bicardbonato de cálcio e ácido fítico também estão sendo testados para a estabilização deste tipo de dano.


É importante que esse tratamento seja realizado com cuidado, pois o uso excessivo de produtos químicos pode danificar ainda mais o documento.


Outra técnica utilizada para a conservação de documentos degradados pela corrosão da tinta ferrogálica é o encapsulamento. Essa técnica envolve o uso de filmes plásticos transparentes para cobrir o documento, protegendo-o da umidade e de outros fatores que possam agravar a deterioração. No entanto, essa técnica é controversa, pois alguns especialistas argumentam que o encapsulamento pode acelerar o processo de deterioração, dificultando a futura recuperação do documento.


Manter a umidade relativa abaixo de 60% e manusear com cuidado são as estratégias mais eficazes para prolongar a existência de originais feitos com tinta de fel de ferro. Se um tratamento interventivo não puder ser evitado, o método de fitato aquoso é recomendado. Um tratamento não aquoso projetado especificamente para artefatos corroídos por tinta ainda não está no mercado. Mas atenção - todas as medidas interventivas introduzem novos riscos que podem ser dramáticos a longo prazo!


https://irongallink.org/conservation-ink-corrosion-to-treat-or-not-to-treat.html


Em conclusão, a conservação de documentos degradados pela corrosão da tinta ferrogálica é um desafio para os profissionais de conservação e restauro de documentos. É importante que os documentos sejam tratados com cuidado e que as técnicas utilizadas sejam escolhidas com base em uma avaliação detalhada do estado de deterioração do documento. Com os cuidados necessários, é possível preservar a história e cultura de uma sociedade por muitos anos.


➡ Quer saber mais sobre este assunto?

Temos um curso novinho te esperando aqui!


Veja detalhes do curso com o Prof. Thiago Guimarães - Química Básica para Restauradores e Conservadores!




E do curso de Conservação de Livros e Documentos com a Profa. Fernanda Auada




Referências:

Conservação das tintas ferrogálicas. Disponível em: https://www.adrientaunay.org.br/portugues/digitalizacao-e-restauro/conservacao-das-tintas-ferrogalicas

Gomes et al. Conservação de Documentos Degradados pela Corrosão da Tinta Ferrogálica https://abm.madeira.gov.pt/wp-content/uploads/2020/04/artigo-tinta-ferrog%C3%A1lica.pdf

Veronique et al. Room-Temperature Study of Iron Gall Ink Impregnated Paper Degradation under Various Oxygen and Humidity Conditions: Time-Dependent Monitoring by Viscosity and X-ray Absorption Near-Edge Spectrometry Measurements. March 2011Analytical Chemistry 83(7):2589-97.



100 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page